Luis Manuel – Não te deixo só

por Bruno Raposo

Temos saudades de Luis Manuel! Afastado há algum tempo das televisões, têm sido raras as suas aparições nos meios de comunicação social.  Apesar de ter comemorado recentemente 30 anos de carreira e ter editado um best of, marcando o regresso do cantor de “Chamo-me Luís” à editora Espacial, depois de algum tempo de ausência. Parece-nos, no entanto, que Luis Manuel não é uma das principais apostas da editora, uma vez que têm sido raros os eventos de promoção do disco. No Portal Pimba somos fãs de Luis Manuel, e aqui ele terá sempre voz!

Nascido em Ferreira do Alentejo, Luis Manuel esteve emigrado no Luxemburgo durante 18 anos. Regressou a Portugal e na bagagem trouxe o Italo-disco e outros sucessos das pistas de dança europeias. Tornou-se conhecido pelas suas versões de Modern Talking (“Encontro na praia”, “Chamo-me Luís”, “Eu e tu, tu e eu”, “Não te deixo só”, entre outras) , e pela sua magnífica versão de “Touch by touch” dos austríacos “Joi” que Luís Manuel intitulou de “Sexta Feira à Noite” e que é provavelmente o seu maior sucesso.

Na música “Não te deixo só” lançado em 2000, Luis Manuel volta a explorar o filão de “Modern Talking”, no entanto sem o êxito de outros tempos, já que passou quase completamente despercebida ao público em geral. O seu videoclip, que mais parece um truque de Luís de Matos, tal o número de vezes em que os protagonistas aparecem e desaparecem, é uma obra que merece ser vista do início ao fim. Nele podemos acompanhar o desespero de Luis Manuel em busca da sua amada por terras alentejanas. Ficamos porém sem saber se se trata de um sonho ou da realidade, tal a forma como o enredo é montado. Uma personagem feminina enigmática, toda vestida de preto, vai surgindo (e desaparecendo logo de seguida) à medida que Luis Manuel vai vagueando, aparecendo-lhe no final, ao volante de um Land Rover, chamando Luis Manuel. Os dois partem felizes, ficando sempre a dúvida no ar se não se trata tudo apenas de um sonho.

You may also like

Leave a Reply